Como dedetizar a casa com cachorro?

Como dedetizar a casa com cachorro?

Como dedetizar a casa com cachorro? – Os animais de estimação também sofrem com a presença de insetos em casa. E não estamos falando apenas das pulgas e dos carrapatos. Uma infestação de formigas, por exemplo, prejudica o bem-estar dos peludos.

Para resolver o problema, você deve recorrer à dedetização. Só que o uso de veneno costuma ser um tabu nas residências onde há cães e gatos. E se o pet entrar em contato com o produto? Ele terá problemas de saúde?


Dicas para proteger seu pet após a desinsetização

Sim, as substâncias utilizadas no controle de insetos podem ser tóxicas para animais de estimação. É por isso que você deve tomar alguns cuidados após a imunização do ambiente. Veja o que fazer.


Isole a área

Existem diferentes métodos para o controle de pragas. Quando há aplicação de gel ou iscas, não é preciso deixar o local. Porém, se a prática envolver a pulverização de domissanitário líquido, então a área deve ficar isolada por 12 horas. Esse é o período necessário para o produto secar.

Os cachorros e os gatos costumam ser mais sensíveis aos químicos. Assim, recomenda-se que eles fiquem longe por mais tempo, em torno de 24 horas. A essa altura, a toxicidade já terá baixado a um nível tolerável.


Dificulte o acesso dos animais de estimação às áreas dedetizadas

O veneno em gel é bastante eficaz contra baratas e formigas. O uso geralmente ocorre em cozinhas e despensas, onde há grande concentração de alimentos. Quando os profissionais aplicam o material, eles procuram pontos como frestas de paredes, quinas de móveis e cantos escuros.

Esses são os refúgios preferidos das pragas urbanas, justamente porque a colônia fica protegida de predadores. Verifique se seu amiguinho de quatro patas tem acesso fácil a esses locais. Se for o caso, restrinja a circulação do peludo. Instale barreiras físicas ou, simplesmente.

Tranque as portas do cômodo dedetizado.


Delimite uma zona segura para o pet

Para facilitar o monitoramento dos pets, determine um lugar em que seus bichinhos possam movimentar-se livremente. Vale o quintal, a sala de estar ou outra peça da residência. Certifique-se de que não haja ralos no perímetro. As baratas atingidas pelo domissanitário ficam tontas.

E algumas escapam por essas aberturas. Então, no momento em que seu animal de estimação entrar em contato com o inseto, poderá ingerir um pouco da substância tóxica.


Remova insetos mortos

Aliás, a atenção aos felinos deve ser redobrada. Isso porque eles adoram brincar com baratas, borboletas e outras criaturas menores. Mesmo que o bichano não coma a presa, o simples fato de capturá-la e manipulá-la pode ser motivo de preocupação.

Por isso, o ideal é que seu gatinho se entretenha apenas com arranhadores, bolas de borracha e acessórios do tipo. Fique de olho. Nos dias seguintes à dedetização, é comum encontrar insetos mortos sobre o piso e os móveis. Ao ver um deles, remova-o imediatamente.

E lave a superfície com água e sabão. Essa medida diminui os riscos de intoxicação.


Observe os vizinhos

Mesmo os animais domésticos mais bem tratados dão uma fugidinha até o terreno ao lado, né? Esse hábito ocorre com frequência em condomínios residenciais e bairros onde as casas são divididas apenas por uma cerca.

Seu cachorro tem direito de correr e se divertir pelo quarteirão, mas tome cuidado. As mesmas regras que valem para você vigoram quando seu vizinho recorre à desinsetização.

Mantenha o pet em casa durante alguns dias. Isso evita um eventual passeio por áreas envenenadas. Em paralelo, monitore o pátio e as aberturas da residência, já que insetos intoxicados tentarão migrar até o local seguro mais próximo.


Segurança na dedetização diminui riscos de envenenamento de pets

Com a devida cautela, você não tem por que se preocupar. Seu lar estará livre de formigas, baratas, pulgas, escorpiões, carrapatos, traças e aranhas. Os únicos animais bem-vindos serão cães e gatos.

No entanto, bem sabemos como a mascote da família pode ser curiosa. Os peludos comem o que não devem, atravessam janelas e invadem locais perigosos simplesmente porque querem explorar o mundo ao redor. Nem sempre é possível frear os ânimos dessas criaturinhas.

Aí acontece o que não deveria: o pet lambe uma parede cheia de domissanitário ou engole um inseto morto pelo veneno. E agora?

Bem, em geral não há transtorno. A quantidade de substância tóxica ingerida é tão pequena que dificilmente afetará o organismo do animal. Além do mais, os produtos de imunização têm um sabor amargo, desagradável ao paladar dos mamíferos.

Ou seja, o Totó não vai devorar um móvel dedetizado como se fosse ração.